Comunidade resiste contra a invasão de suas terras por mineradora na região de Brumadinho

AROUCAS RESISTE

Agricultoras e agricultores da comunidade tradicional do distrito de Aroucas, no município de Bonfim, região central de Minas Gerais, protocolaram na primeira quinzena deste mês de maio uma representação junto ao Ministério Público Estadual com um amplo conjunto de informações, escritos a próprio punho, caracterizando o modo de vida local e contendo questionamentos sobre a ação da mineradora Alasca, que ameaça iniciar um projeto de exploração do minério de ferro na comunidade.

A notícia, no entanto, chegou na comunidade através das redes sociais da Prefeitura. Segundo um grupo de organizações formadas pelo Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM), Movimento pela Águas (Movsam) e Comissão Pastoral da Terra (CPT), a empresa tem uma estratégia para entrar na comunidade, como manobrar o sistema de licenciamento ambiental, assediar as comunidades, inclusive criando disputas locais, além de invadir as áreas, sem autorização prévia, para fazer pesquisas e outros levantamentos.

A comunidade está muito assustada com a situação e não quer ver suas vidas e histórias se desfazerem em função da ganância da mineradora e da falta de transparência do poder executivo local.

A comunidade do Aroucas está localizada na divisa entre Bonfim e Brumadinho (que vive o caos resultado da ação criminosa da Vale desde o ano de 2019), e já solicitou informações junto aos órgãos ambientais e Prefeitura, mas não obteve nenhuma resposta.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s