Instituto Alana lança série de vídeos sobre infância e tecnologia em tempos de quarentena

Especialistas analisam como é possível que os pequenos tenham uma relação saudável com a tecnologia diante do cenário atual

alana

A rotina familiar mudou desde o início da quarentena causada pelo COVID-19 no Brasil e no mundo. Com as crianças em isolamento social, pais, mães e responsáveis se veem imersos nas diversas demandas do dia a dia. Nesse contexto, o ambiente digital aparece como um recurso que oferece oportunidades de conexão, socialização com os amigos e familiares e aparece como um novo espaço para aprender e brincar. Para contribuir e auxiliar famílias nas relações das crianças com as telas, o Instituto Alana desenvolveu uma série de vídeos com depoimentos de especialistas, que apresentam conteúdos sobre como as famílias podem ajudar os pequenos a terem relações éticas, saudáveis e criativas com as tecnologias.

Pesquisadores e especialistas, bem como as recomendações de organizações como sociedades de pediatras, UNICEF e Organização Mundial da Saúde defendem que em uma relação saudável com a tecnologia devem prevalecer boas experiências e o respeito à privacidade e a capacidade de desconectar das crianças, reconhecendo que o universo digital também apresenta desafios que precisam ser conhecidos e cuidados. Por isso, a série busca proporcionar reflexões sobre temas relacionados à tecnologia e infância como os benefícios da tecnologia durante a quarentena, a qualidade de conteúdo, o equilíbrio entre as experiências digitais e atividades sem telas, a publicidade infantil, entre outras.

Ao todo, a série é composta por nove vídeos, que contam com a participação de especialistas do Instituto Alana: Maria Isabel Barros, pesquisadora do programa Criança e Natureza; Laís Fleury, coordenadora do programa Criança e Natureza; Livia Cattaruzzi, advogada do programa Criança e Consumo; Pedro Hartung, coordenador dos programas Criança e Consumo e Prioridade Absoluta e Raquel Franzim, coordenadora da área de Educação. A relação completa dos vídeos poderá ser vista no link .

Sobre o Instituto Alana

O Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância. Criado em 1994, é mantido pelos rendimentos de um fundo patrimonial desde 2013. Tem como missão “honrar a criança”.

Quarentena: reflexões sobre a pandemia e depois. Uma obra para pensar o mundo pós-pandemia

quarentena

Uma coletânea de artigos e ensaios escritos por pesquisadores e atores políticos que se colocam na contracorrente do pensamento dominante, o e-book “Quarentena: reflexões sobre a pandemia e depois” foi elaborado no calor do momento em que tudo acontece, por gente experiente e preparada para analisar a conjuntura e projetar os efeitos desta crise mundial nos campos da política, da economia, da sociologia, do direito e da filosofia.

Este book reúne pensadores brasileiros e estrangeiros, com percepções sobre o momento que atravessamos e opiniões sobre o pós-pandemia. Segundo os organizadores do “Quarentena: reflexões sobre a pandemia e depois”, a obra consiste em uma fotografia do período e incorpora reflexões reflexões sobre o mundo, a vida e a sociedade.

Entre os autores estrangeiros estão presentes textos de Noam Chomsky, Slavoj Zyzek, Boaventura de Sousa Santos, Jeffrey Sachs e Joseph Stiglitz. Já entre os brasileiros se destacam as participações de Michel Lowy, Ladislau Dawbor, Márcio Pochmann, Eduardo Moreira, Vladimir Safatle e Flávio Dino.

O “Quarentena: reflexões sobre a pandemia e depois” é uma produção do Projeto Editorial Práxis que é um selo da Canal6Editora, com um projeto editorial da Rede de Estudos do Trabalho.

Quem desejar baixar este importante e-book em sua versão pdf, basta  clicar [Aqui!].

 

Empresa de sementes presta serviço à população sobre alimentação saudável na quarentena

Ter uma horta contribui para hábitos mais saudáveis, além de proporcionar um momento de bem-estar e conexão

foto-6-copia

Em tempos de distanciamento social em que é necessário estar mais tempo dentro de casa, uma das reflexões que surgiu com força nas redes sociais foi a oportunidade de rever nossos hábitos diários, incluir novas atividades e dar atenção a ações que nos conectem verdadeiramente com nossa família e com a natureza.

Fazer uma horta em casa rapidamente se tornou opção número um para quem está passando mais tempo em casa e pode ser um uma forma de ampliar a consciência sobre comer melhor e cuidar da imunidade. Atividade acessível, que pode ser realizada por pessoas de todas as idades e com ótimos efeitos para a saúde mental, o ato de plantar para colher e comer também é forte aliado na busca por comer de forma mais saudável.

A OMS indica que cada pessoa consuma 400g de frutas e hortaliças por dia. Como brasileiros, ainda estamos longe dessa marca, mas para quem planta em casa essa é uma realidade que tende a melhorar mais rapidamente. Há pesquisas que indicam que quem planta em casa compra frutas e hortaliças em maior quantidade do que aqueles que não plantam.

A empresa brasileira ISLA Sementes , há 65 anos no mercado, é pioneira também na forma de comunicar com a população. Ciente da sua importância na cadeia da alimentação saudável no Brasil, há quase uma década a empresa investe em conteúdo próprio para aproximar o consumidor do horticultor, auxiliando no entendimento sobre a importância de questões como a sazonalidade e ciclo de vida dos vegetais.

Através de seu Canal no Youtube e perfis no Instagram Facebook está disponível uma série de informações úteis para quem deseja começar a plantar agora, assim como para quem deseja aprofundar seus conhecimentos. Com nomes fáceis como “Quero ter uma horta, e agora?”, as dicas são plurais e incluem temas como onde plantar para quem tem muito espaço ou para quem só pode plantar em vasos dentro de casa, indicação de sementes para plantar em cada região do país e informações técnicas para evitar bichinhos indesejados na horta. A curadoria de receitas para cozinhar melhor em casa com hortaliças é um dos conteúdos que podem ser acessados pelo site vamoscomermelhor.com.br , que também apresenta mapas de cultivo por estação.

E, na dúvida do que plantar, o recém-lançado Consultor de Sementes pode ser uma grande aliado. A plataforma traz indicações para nos auxiliar a escolher qual a opção mais adequada para plantar na horta de casa. É bem simples de usar: respondendo duas ou très perguntas sobre conhecimento e desejos em relação ao plantio e o Consultor entrega até três opções de variedades para aqueles que querem diversificar sua colheita ou viver a primeira experiência de cultivo.

Pela hashtag #minhahorta é possível acompanhar o que pessoas de todo Brasil estão plantando em suas casas durante esse período de quarentena no Brasil.

Serviço:

Isla Sementes

Site: http://www.islasementes.com.br

Blog: vamoscomermelhor.com.b

Instagram: @islasementes

Youtube: Islasementes

Mais informações à imprensa

Hochmüller Multimídia

Amanda Ivanov

(11) 94428-0062
amanda.ivanov@hochmuller.com.br

@hochmuller_multimidia

E agora, Jair? Steve Bannon defende que Trump adote formas mais estritas de confinamento para acelerar recuperação econômica

bannon bolso

Steve Bannon, sentando ao lado do presidente Jair Bolsonaro, é considerado um guru da extrema-direita mundial

Agora é que a disputa retórica empreendida pelo presidente Jair Bolsonaro e seu “gabinete do ódio” em prol da flexibilização das medidas de confinamento social vai entrar em uma fase difícil.

É que o líder da extrema-direita e guru da família Bolsonaro, Steve Bannon, está prevendo que o presidente Donald Trump “desejará realizar um bloqueio social mais duro à medida que os EUA avançarem na pandemia de coronavírus” (ver vídeo abaixo de sua entrevista à rede FOX a partir do segundo 49).

Bannon afirmou ainda que “acho que você passa por um bloqueio mais difícil no momento e depois passa por cima”, disse Bannon., e acrescentou que “ninguém deve perder um emprego, nenhuma empresa deve sair do negócio. Temos que unir as pequenas empresas, os empreendedores para passar para o outro lado“.

Steve Bannon disse ainda à Fox News que “se você tiver que passar pelo inferno, passe o mais rápido possível“, disse ele.   Em conclusão Bannon  prognosticou que “o presidente Trump chegará à conclusão de que quero reforçar isso ainda mais, para que possamos passar por isso cada vez mais rápido e ter um reavivamento mais acentuado. Acredito que é isso que vai acontecer“.

Vamos ver agora como reage o presidente Jair Bolsonaro às posições de Steve Bannon. No mínimo será interessante ver qual será a reação.

Gustavo Barbosa e a iniciativa privada: cadê a quarentena dele?

Resultado de imagem para quarantine for occupants of public positions

Segundo nos informa a jornalista Paloma Savedra no jornal “O DIA”, o motivo da saída do agora ex-(des) secretário estadual de Fazenda do (des) governo Pezão foram “”propostas irrecusáveis”  que o fizeram entrefar “o cargo para ir para a iniciativa privada” [1]. 

gustavo barbosa 2

Minha reação a isso é a seguinte: cadê a quarentena dele?

É que em qualquer país sério do capitalismo central não seria permitido que um indíviduo provido de informações estratégicas sobre o funcionamento do estado possa sair de seu posto e ir vender seus serviços para o mercado. Isto é simplesmente dar de mãos beijadas às corporações informações sigilosas que deveriam permanecer seladas por um dado período. Um exemplo desse tipo de  informações privilegiadas são os acordos realizados com o governo federal sob o manto do chamado “Regime de Recuperação Fiscal”.

Mas como estamos no Brasil e, especialmente no Rio de Janeiro, o sr. Gustavo Barbosa tem a permissão de pegar o bonde e partir para outras paragens, certamente onde se recebe em dia e com polpudos reajustes salariais. Coisa muito diferente do legado que ele está deixando para os servidores estaduais do Rio de Janeiro que passarão, graças a ele e sua “capacidade de negociação”, a pão e água até 2020, sem saber sequer quando ou se receberão os salários devidos pelo seu trabalho.

Por último, aqui vai o meu palpite sobre o novo nicho de ocupação profissional do sr. Gustavo Barbosa: previdência privada.


[1] https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/colunas/servidor/5510179-gustavo-barbosa-deixa-fazenda-e-vai-para-a-iniciativa-privada.html