Campos dos Goytacazes e o brado retumbante dos servidores municipais: habemus operistitium

Rafael-Dinizgreve 2

Estou em Campos dos Goytacazes desde o final de 1997, e desde então muitos foram os que sentaram na cadeira de prefeito deste pobre rico município. Quis o destino que eu pudesse presenciar a eclosão de um movimento de greve entre os servidores municípios justamente no mais jovem e mais facilmente prefeito de toda a safra que presenciei.

Hoje ao voltar de uma breve estadia na cidade do Rio de Janeiro encontrei de tudo um pouco pelas ruas da cidade, começando por grandes amontoados de lixo não recolhido pelos funcionários em greve da empresa  Vital Engenharia que teriam decretado o movimento paredista pelo não cumprimento de direitos trabalhistas.

Mas efetivamente o fato mais auspicioso que pude verificar nos portais de notícias da cidade foi o bloqueio das entradas da sede da Prefeitura Municipal por servidores em greve o que teria sido causado pelo descumprimento de uma série de demandas apresentadas ao jovem prefeito Rafael Diniz [1, 2, 3, 4 e 5].

Mesmo sem ter poderes premonitórios, penso que vivenciaremos nas próximas horas  a difusão de teorias conspiratórias que imputarão ao grupo político do ex-governador Anthony Garotinho a gênese deste movimento paredista. E isto é tão óbvio que me atrevo a fazer a previsão sem medo de errar.

O problema é que existem limites em termos da eficácia destas teorias conspiratórias quando se verifica que no plano local o prefeito Rafael Diniz amealhou em sua base política muitos que até recentemente juravam lealdade a Anthony Garotinho. Aliás, basta olhar a impressionante bancada governista que se formou sabe-se lá a que custo na Câmara de Vereadores para ver que os vereadores que permaneceram fiéis ao ancien régime estão em clara minoria.

Se eu fosse o jovem prefeito Rafael Diniz em vez de tentar jogar a culpa em Anthony Garotinho, eu começaria a olhar para dentro de casa para achar os culpados pela rápida erosão do impressionante capital político que ele amealhou ao vencer de barbada uma eleição que todos achavam seria disputada. É que ninguém que é eleito de forma tão fácil quanto ele foi pode se dar ao luxo de culpar aos que derrotou de forma fragorosa.

Além disso, como não sou o jovem prefeito de Campos, posso apenas expor a minha opinião de mero e pacato cidadão de que o tempo para ele se aprumar está passando e de forma bastante acelerada. De nada adiantará ter a cobertura midiática para vender uma imagem de eficiência se os fatos o continuarem atropelando nas ruas.  Melhor agir logo do que muito tarde. E note-se, quando eu falo em agir,  que não estou falando em tentativas de reprimir e coagir aqueles que estão tentando o seu direito constitucional de greve.

Enquanto isso, habemus operistitium. Ou em bom português.. .temos greve!


[1] http://jornalodiariorj.com/servidores-municipais-em-greve-bloqueiam-entradas-da-prefeitura-de-campos/

[2] http://www.nfnoticias.com.br/noticia-7358/greve-dos-servidores-de-campos-comeca-com-interrupcao-do-acesso-na-sede-da-prefeitura

[3] http://noticiaurbana.com.br/servidores-de-campos-entram-em-greve-e-bloqueiam-entrada-da-prefeitura/

[4] http://www.jornalterceiravia.com.br/2017/09/04/manifestantes-interrompem-transito-no-terminal-de-embarque-no-centro/

[5] http://www.folha1.com.br/_conteudo/2017/09/geral/1224277-manifestantes-fecham-entrada-na-sede-da-prefeitura-de-campos.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s