Servidor público apoiando Bolsonaro = frango fazendo propaganda para a Sadia

lequetreque-sadia

Tenho visto uma série de manifestações feitas por servidores públicos de apoio a Jair Bolsonaro.  Das duas uma: ou esses servidores não examinaram a cartilha ultraneoliberal que o fundador do BTG Pactual Paulo Guedes promete implementar para exterminar o serviço público ou leram e não se importaram com o futuro dos seus cargos e salários.

Essa movimentação de servidores públicos em prol de uma agenda ultraneoliberal com elementos de nazifascimo é mais uma prova de que desse segmento não se deve esperar sempre que haja consciência sobre a função social do cargo público. 

O interessante é que se formos olhar de perto quem dentro do serviço público apoia Jair Bolsonaro e suas ideias que expressam uma espécie de nazismo tropical, veremos que muitos dos que o apoiam não são exatamente servidores modelo ou, tampouco, são pessoas que respeitam o direito alheio fora da sua repartição ou órgão púiblico. Tomando pelo meu próprio local de trabalho, posso dizer que algumas das piores figuras são hoje bolsonaristas desde criancinhas. E isto não me surpreende nem um pouco.

Mas não deixo de ficar com a sensação que daqui a pouco estes serão os mesmos a dizer que foram enganados por um estelionato eleitoral caso Bolsonaro seja eleito e comece sua “revolução” exterminando o serviço público, dando continuidade ao trabalho que Michel Temer não irá concluir.

 

3 pensamentos sobre “Servidor público apoiando Bolsonaro = frango fazendo propaganda para a Sadia

  1. Emmanoel Silva Filho disse:

    Basta olhar para quem financia a campanha do cramunhão. Os ruralistas associados com mineradores que tem interesse em acabar com leis ambientais e trabalhistas; as igrejas evangélicas que viraram lavanderias de dinheiro (vide o bispo Macedo) e a indústria bélica que pensa em ganhar o contrato para venda de armas as forças armadas e policias dos estados.
    Como dizia Tim Maia é um país de cabeça pra baixo onde pobre é de direita e rico é de esquerda.

  2. Roger Antunes disse:

    Ah tá. Então vamos votar em Haddad e colocar o Marcos Lisboa do Insper para ser o novo Levi. Funcionário público não é burro, é classe mais bem informada politicamente que existe.
    Eu sou funcionário público federal e te digo: o PT traiu o funcionalismo. Tchau querida! PT nunca mais..

    • Roger, eu tampouco votaria no PT. Mas jamais votaria num candidato que representa o fascismo e já está avisando que vai acabar com uma série de direitos dos trabalhadores, começando pela estabilidade dos servidores públicos. Por isso, a postagem está mantida. Bolsonaro, jamais!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s