Por um “Mais médicos da COVID-19”, tragam os cubanos de volta

mais medicos

Uma das primeiras consequências da eleição de Jair Bolsonaro foi a retirada de quase 10 mil médicos cubanos que atuavam nas periferias pobres e nos rincões mais distantes do território brasileiro. Com a saída dos especialistas cubanos pôs-se fim ao exitoso e combatido programa lançado pela presidente deposta Dilma Rousseff, o “Mais Médicos”.

Depois de pouco mais de dois anos daquela saída estrepitosa e que foi saudada com alegria pela maioria da classe médica brasileira, um incontável número de vagas em unidades hospitalares voltadas para o tratamento dos infectados pelo Sars-Cov-2 estão ociosas porque os médicos brasileiros estão decidindo não ocupá-las, provavelmente porque o risco da infecção não é compensado pelos salários oferecidos. Com isso, temos hoje milhares de brasileiros infectados e passando graves dificuldades de saúde, aguardando leitos e até morrendo sem que sejam acolhidos para tratamento.

Em minha modesta opinião, os governadores e prefeitos que hoje estão adotando medidas de isolamento social deveria também iniciar um movimento nacional para pressionar o presidente Jair Bolsonaro para que educadamente solicite ao governo de Cuba o envio de suas brigadas de médicos especializados em tratamento de doenças altamente infecciosas como é o caso da COVID-19.  Essas brigadas já vem atuando em diversos países, inclusive na Europa, e conseguido contribuir para reverter cenários extremamente difíceis, como foi o da Itália na primeira onda da COVID-19. Se o presidente Bolsonaro se recusar a solicitar a ajuda cubana, que governadores e prefeitos mobilizem o Congresso Nacional para que isso se dê via a ação do parlamento. O fato é que o Brasil precisa dos médicos cubanos para ter uma espécie de “Mais Médicos contra a COVID-19”.

O que não é possível é continuarmos vendo o avanço destroçador da pandemia e não pedir a ajuda de quem tem todas condições de nos ajudar a superar a situação catastrófico em que fomos metidos por um governo negacionista como é o de Jair Bolsonaro.

Em suma: tragam de volta os médicos cubanos! E que desta vez eles não cheguem nos nossos aeroportos sob vaias e protestos daqueles que podendo auxiliar a população brasileiro estão preferindo ficar na segurança dos seus lares, e muitos deles já vacinados.

Um pensamento sobre “Por um “Mais médicos da COVID-19”, tragam os cubanos de volta

  1. Marco Antônio Badaró Athayde disse:

    Q R A Mestry Badahra .
    Com Certeza ! infelizmente , sem observarem a FALTA , que estes “excelentes” profissionais permitiram uma Assistência, Na Rede Publica, Salientando que A População Ribeirinha, Cantões do Norte Nordeste, Nunca antes atendidos condignamente. Dai , a Falta no atendimento é Grande, Pois com a Pandemônia , O atendimento ao dependente do S U S ficou Mais complicado . Fui Atendido 3 Vezes por estes Profissionais , Onde fiquei agradecido inclusive pela Atenção ao Paciente ..

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s