Fala fraca e fuga de coletiva de imprensa em Davos explicitam esclerose precoce do governo Bolsonaro

bolso 1

O presidente Jair Bolsonaro, no Fórum Econômico Mundial em Davos Foto: Fabrice Coffrini / AFP

Se a repercussão da aparição meteórica na mesa de abertura da edição de 2019 do Fórum Econômico Mundial de Davos já não tivesse sido ruim o suficiente para a imagem de Jair Bolsonaro e um governo em estágio inicial, a coisa ficou pior ainda com a fuga de uma entrevista coletiva onde o presidente e seus principais ministros deveriam expor seus projetos para o Brasil.

mesa vazia

Essa imagem me traz inclusive à lembrança o cantor Nelson Gonçalves e aquela canção que diz que “naquela mesa está faltando ele” (ressalvando-se que no caso de Davos a ausência foi coletiva).

O cenário fica ainda pior para Jair Bolsonaro e seu governo quando se vê que ele esteve disponível para entrevistas no melhor estilo “chapa branca” com veículos da mídia corporativa brasileira que optaram por aderir ao seu projeto político, sabe-se lá por quais razões.

Se essa tática de fugir de situações complicadas para falar com a “imprensa amiga” funciona no Brasil, isso não quer dizer que funcionará fora dele.  E Bolsonaro deveria ter sido melhor orientado nesse sentido, mas o problema é que não foi.

Para adicionar pitadas fortes de constrangimento há ainda o vaivém em torno do escândalo que cerca seu primogênito,  o senador eleito pelo Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro, cujo caso evoluiu da, dizem, corriqueira subtração de parte dos salários de assessores na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) para questões bem mais complexas que envolvem negócios com imóveis no melhor estilo “the Flash” para problemas bem mais delicados como o envolvimento com milicianos, incluindo a concessão de emprego para a mãe e a esposa de um deles.

Após parecer que iria jogar o filho “ao mar” para se livrar de possíveis ligações perigosas dizendo que se “ele (Flávio Bolsonaro) errou e isso ficar provado, eu lamento como pai, mas ele vai ter que pagar“; Jair Bolsonaro usou uma das entrevistas “chapa branca” para dizer que o alvo é ele e seu primogênito seria só vítima de um jogo sujo. Ao fazer isso, consciente ou inconscientemente, o presidente do Brasil se reaproximou da frigideira política em que o filho está sendo assado.

Se tudo não estivesse com cara de pudim desandado, Jair Bolsonaro resolveu se envolver diretamente na aventura política de remover Nicolás Maduro do poder na Venezuela. É que ao alinhar o Brasil automaticamente à posição do governo estadunidense que quer impor a derrubada de Maduro, Jair Bolsonaro corre o risco de alienar parceiros comerciais importantes como a Rússia e a China.  Uma amostra do preço deste tipo de alinhamento já foi dada  pela Arábia Saudita que suspendeu a compra de carne de frango de 33 frigoríficos brasileiros  como uma forma velada de protesto contra a anunciada mudança da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

Entre os frigoríficos de carne de frango suspensos pela Arábia Saudita, estão unidades da BRF e JBS

Getty Images. Entre os frigoríficos de carne de frango suspensos pela Arábia Saudita, estão unidades da BRF e JBS.  Fonte: Economia IG. 

A questão é que hoje a saúde balança comercial brasileira depende diretamente da venda de suas commodities agrícolas e minerais para países que estão mostrando posições distintas não apenas no caso da Venezuela e da localização de suas embaixadas em Israel.  Se a posição da Arábia Saudita for seguida por outros países, a crise só tenderá a aumentar.

Todas estas sinalizações apontam para a ocorrência de uma esclerose altamente precoce do governo Bolsonaro. Se ainda nem chegamos ao final do primeiro mês e o novo congresso ainda nem foi instalado, imaginemos o que poderá acontecer ao longo de 2019. Por tudo o que se viu até agora, o calvário de Jair Bolsonaro e seus filhos está apenas começando (para usar uma imagem tão a gosto de sua base neopentescotal). Resta saber se o presidente saberá lidar com todas as pressões que apontam no horizonte.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s