Mapa mostra situação de barragens e o percurso do rejeito do Tsulama da Vale

Brazil Dam Collapse

Em um esforço conjunto do Grupo de Pesquisas “Política, Economia, Mineração, Ambiente e Sociedade (PoEMAS) da Universidade Federal de Juiz de Fora, do GT Agrária Rio-Niterói da Associação de Geógrafos Brasileiros (AGB) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, campus Valença,  já está circulando um mapa mostrando a condição da mineração no chamado Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais, bem como o percurso que será cumprido pelos rejeitos liberados pelo Tsulama da Vale em Brumadinho (ver imagem abaixo).

mapabrumadinho

Graças às informações contidas no mapa, podemos agorar saber que apenas na região do Quadrilátero Ferrífero existem 114 barragens cadastradas e 104 não l, sendo que em 70 delas a chance de ruptura é alta. Dado que ali existem vários tipos de minérios sendo prospectados, os danos ecológicos e sociais não são desprezíveis.

Já em relação aos rejeitos que alcançaram o Rio Paraopeba,  o mapa informa que ao longo do percurso de 245 km existem 18 municípios com uma população total de 944 mil habitantes, incluindo duas terras indígenas, que agora ficam desprovidos da principal fonte de água. 

Como se vê, é mais do que justificada a preocupação e, mais importante, a mobilização popular que está emergindo em diferentes partes do território mineiro onde existem gigantescas barragens de rejeitos usando o mesmo tipo de estruturas que romperam em Mariana e Brumadinho.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s