A cobertura fragmentada da greve geral indica sucesso da mobilização contra a reforma da previdência

Estou desde cedo acompanhando a cobertura altamente fragmentada do dia de greve geral em diferentes partes do Brasil, e não há como deixar de notar que os principais veículos da mídia corporativa brasileira estão fazendo um esforço hercúleo para não deixar que a população saiba o que realmente está se passando.

Esse esforço é parte de uma aritmética mais ampla, pois os grandes grupos de mídia são parceiros do governo Bolsonaro na imposição de uma contrarreforma que causará graves danos aos trabalhadores e a própria economia brasileira.  

Por isso, a cobertura fragmentada e concentrada em vias de circulação onde há “certa normalidade” como falam os jornalistas que cobrem as manifestações. Também o recurso de visitar pontos de acesso a transportes públicos onde pessoas “sofrem” as consequências do movimento.  

Essa não é a primeira vez que a mídia corporativa brasileira se comporta mais como desinformadora do que informadora, nem deverá ser a última. É que os donos desses veículos são parceiros da desnacionalização da nossa economia, e da voracidade rentista que abocanha a riqueza nacional.

Para nos informarmos melhor, o caminho será aguardar a cobertura da mídia internacional, especialmente daqueles veículos que possuem “sucursais” no Brasil, como o espanhol “El País“, a alemã “Deutsche Welle“, a inglesa “BBC” e a francesa “Rede França Internacional“.

Uma coisa que é possível ver, para além das névoas da desinformação que a mídia brasileira impõe a partir do acompanhamento das redes sociais, é a força do movimento em determinados estados e a relativa fragilidade em outros.  Esta diferença se deve principalmente ao nível de engajamento heterogêneo das centrais sindicais nos estados onde são hegemônicas esta ou aquela força política.  Identificar onde o movimento foi sabotado pela omissão de determinadas centrais sindicais será fundamental para os inevitáveis próximos capítulos que ainda ocorrerão ao longo de 2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s