Índice mundial de preços de alimentos da FAO sobe pelo sétimo mês consecutivo em dezembro

Trigo é visto durante o pôr do sol em um campo da empresa agrícola Solgonskoye na vila de Solgon, Rússia, em 6 de setembro de 2014 REUTERS / Ilya Naymushin

Por  Crispian Balmer para a Reuters

ROMA (Reuters) – Os preços mundiais dos alimentos subiram pelo sétimo mês consecutivo em dezembro, com todas as principais categorias, exceto o açúcar, registrando ganhos no mês passado, disse a agência de alimentos das Nações Unidas na quinta-feira.

O índice de preços de alimentos da Organização para Alimentação e Agricultura, que mede as variações mensais de uma cesta de cereais, oleaginosas, laticínios, carnes e açúcar, teve média de 107,5 pontos no mês passado contra 105,2 em novembro.

O número de novembro era anteriormente de 105,0.

Para todo o ano de 2020, o índice de referência foi em média 97,9 pontos, uma alta de três anos e um aumento de 3,1% em relação a 2019. Ainda estava mais de 25% abaixo de seu pico histórico em 2011.

Os preços do óleo vegetal continuaram fortes ganhos recentes, saltando 4,7% no comparativo mensal em dezembro, após alta de mais de 14,0% em novembro. Para todo o ano de 2020, o índice teve alta de 19,1% em relação a 2019.

A FAO disse que o aperto na oferta nos principais países produtores de óleo de palma elevou os preços, enquanto o comércio também foi impactado por um forte aumento nas tarifas de exportação na Indonésia. Os preços do óleo de soja aumentaram em parte devido às greves prolongadas na Argentina. [POI /]

O índice de preços dos cereais registrou um aumento mais modesto de 1,1% em dezembro em relação ao mês anterior. Durante todo o ano de 2020, o índice ficou em média 6,6% acima dos níveis de 2019.

Os preços de exportação de trigo, milho, sorgo e arroz subiram em dezembro, subindo em parte devido a preocupações com as condições de cultivo e perspectivas de safra na América do Norte e do Sul, bem como na Rússia, disse a FAO com sede em Roma.

O índice de lácteos subiu 3,2% no mês, porém, ao longo de todo o ano de 2020, ficou em média 1,0% a menos do que em 2019.Em dezembro, todos os componentes do índice aumentaram devido à forte demanda global de importação, desencadeada por preocupações com as condições mais secas e quentes na produção de leite da Oceania, bem como a alta demanda interna na Europa Ocidental.

O índice de carnes subiu 1,7% no mês passado, enquanto sua média anual ficou 4,5% abaixo de 2019. A FAO disse que as cotações de aves se recuperaram em dezembro, em parte devido ao impacto dos surtos de gripe aviária na Europa. No entanto, os preços da carne suína caíram levemente, afetados pela suspensão das exportações alemãs para os mercados asiáticos após os surtos de peste suína africana.

Contrariando as altas dos demais índices, os preços médios do açúcar recuaram 0,6% em dezembro. Para 2020 como um todo, o subíndice registrou um ganho de 1,1% em relação aos níveis de 2019. A FAO disse que a relativa firmeza dos dados mais recentes refletiu um aumento nas importações da China e uma maior demanda por açúcar refinado da Indonésia. [SOF / L]

A FAO não divulgou uma previsão atualizada para as safras mundiais de cereais em janeiro. Sua próxima estimativa é para fevereiro.

No mês passado, a FAO revisou para baixo sua previsão para a safra de cereais de 2020 pelo terceiro mês consecutivo, cortando-a para 2,742 bilhões de toneladas, ante os 2,75 bilhões anteriores.

Este artigo foi originalmente escrito em inglês e publicado pela Agência Reuters [Aqui!].

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s