Fim da picada: PF denuncia Ricardo Salles por ligações com madeireiros envolvidos na extração ilegal de madeira na Amazônia

RICARDO-SALES-SANTAREM-DIVULGACAO

Lobby de Ricardo Salles a favor de madeireiros resulta em ação inédita de denúncia de um ministro do Meio Ambiente pela Polícia Federal ao STF

A Polícia Federal  decidiu se dirigir ao  Supremo Tribunal Federal contra o ministro Ricardo Salles por ele supostamente dificultar fiscalização ambiental na Amazônia. O superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Saraiva, enviou uma notícia-crime ao Supremo Tribunal Federal contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Segundo a PF, Salles se posicionou do lado dos madeireiros em ações do poder público e dificultou “de forma consciente e voluntária” a fiscalização na região. O senador Telmário Mota (PROS-RR), citado junto ao ministro, disse que as acusações são “sem fundamento”.

No centro dessa situação espinhosa estão mais de 200 mil metros cúbicos no valor de R$ 130 milhões de madeira foram apreendidos na Operação Handroanthus no final de 2020. Salles e Telmário têm feito declarações contrárias à operação da Polícia Federal que levou à apreensão, além de defender a aparente legalidade do material e dos madeireiros investigados.

É importante lembrar que em março deste ano, Ricardo Salles visitou a região e se reuniu com madeireiros para tratar do tema, e fez postagens em redes sociais defendendo que seja dada solução célere ao caso.  Para o superintendente da Polícia Federal do Amazonas,  Ricardo Salles e Telmário Miranda possuem uma parceria com o setor madeireiro “no intento de causar obstáculos à investigação de crimes ambientais e de buscar patrocínio de interesses privados e ilegítimos perante a Administração Pública.”

Ainda que as estripulias de Ricardo Salles à frente de cargos públicos não seja nenhuma novidade, ele foi até condenado em primeira instância por atos de improbidade administrativa quando era secretário estadual do Meio Ambiente de São Paulo, a decisão do superintendente da Polícia Federal não poderia chegar em pior hora para ele e para o governo Bolsonaro quando se tenta negociar um acordo bilionário com o governo Biden para “proteger a Amazônia”.

Agora a batata quente política está nas mãos do governo dos EUA que terá de decidir se continua negociando com um governo cujo ministro do Meio Ambiente está sendo acusado de dificultar a punição de crimes ambientais. Já para Ricardo Salles não há muita novidade, pois ele está acostumado a ter que se explicar na justiça por atos cometidos enquanto ocupa cargos públicos.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s