Estudo mostra que por causa do avanço da degradação florestal, a Amazônia passou de sumidouro a fonte de CO2 atmosférico

amazonia-degradacaoO processo de degradação florestal por extração de madeira, garimpos e incêndios transformaram a Amazônia em uma fonte significativa de carbono atmosférico

No dia 11 de setembro de 2020, a revista Science publicou o artigo “Long-term forest degradation surpasses deforestation in the Brazilian Amazon” produzido por um grupo de pesquisadores liderados pelo professor Eraldo Matricardi do Departamento de Engenharia Florestal da UNB, da qual fui dos co-autores.  Nesse trabalho, mostramos que o processo de degradação do bioma amazônico por atividades de extração de madeira e fogo havia ultrapassado a área desmatada.

source

A fumaça sobe de um incêndio ilegalmente aceso na reserva da floresta amazônica, ao sul de Novo Progresso, no estado do Pará, Brasil. Fotografia: Carl de Souza / AFP / Getty Images

No artigo citado, adiantamos que outros pesquisadores poderiam utilizar nosso estudo para produzir estimativas sobre, por exemplo, os efeitos do avanço da degradação sobre o estoque de carbono nas florestas amazônicas.  Eis que na última 5a. feira (29/04), a revista “Nature and Climate Change” publicou um artigo intitulado “Carbon loss from forest degradation exceeds that from deforestation in the Brazilian Amazon” que parte exatamente da ideia de que a degradação florestal é um importante agente não apenas de mudança da paisagem, mas também um fator central nas alterações que estão ocorrendo nos estoques de carbono, o que altera significativamente não apenas o ciclo do carbono, mas também o clima e as taxas de biodiversidade.

O grupo liderado pelos pesquisadores Xiangming Xiao (da Universidade Estadual de Oklahoma nos EUA) e Jean-Pierre Wigneron (do INRA Nouvelle-Aquitaine da França) constatou que “a perda de área bruta de floresta foi maior em 2019 do que em 2015, possivelmente devido ao recente afrouxamento das políticas de proteção florestal‘, mas que, no entanto, “a perda líquida de  biomassa acima do solo (AGB) foi três vezes menor em 2019 do que em 2010“.  Além disso, eles também observaram que “durante o período entre 2010–2019, a Amazônia brasileira teve uma perda bruta cumulativa de 4,45 PgC contra um ganho bruto de 3,78 PgC, resultando em uma perda líquida de AGB de  0,67 PgC“. Assim, sendo “a degradação florestal (73%) contribuiu três vezes mais para a perda bruta de AGB do que o desmatamento (27%), dado que a extensão da área de degradação excede a do desmatamento (refletindo o que havíamos indicado no artigo publicado pela revista Science)”.

A consequência dessas descobertas é que o processo de degradação florestal “se tornou o maior responsável pela perda de carbono na Amazônia”, enterrando de vez a ideia de que os problemas causados pela mudança da cobertura florestal estão circunscritos ao desmatamento e, mais importante ainda, que não haverá um controle efetiva da transformação da Amazônia em fonte, em vez de sumidouro, de carbono atmosférico sem políticas públicas que contenham o acesso descontrolado a áreas que ainda estão relativamente fora da ação de grupos que agem ilegalmente para extrair madeira e riquezas minerais (como o caso dos garimpos ilegais de ouro). 

Finalmente, a confirmação de que a degradação florestal da Amazônia é hoje o elemento central para se formular políticas que a mantenham como um importante fator de controle das mudanças climáticas deverá colocar desafios particularmente incumpríveis durante a vigência do governo de Jair Bolsonaro e por causa das ações objetivas de seus ministros anti-ambiente Tereza Cristina e Ricardo Salles. 

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s