Peixes transgênicos vermelhos e verdes brilhantes escaparam de tanques de reprodução em rios brasileiros

Os peixes-zebra não são os únicos peixes ornamentais invasores que brincam nos rios de forma ilegal e indesejada. Se eles se estabelecerem, eles podem perturbar severamente o ecossistema.

Por Stephanie Lahrtz para o Neue Zürcher Zeitung

zebra 1Peixe-zebra transgênico com um gene embutido de criaturas do fundo do mar brilham no aquário

“Starfire Red Danio” e “Electric Green Danio” são apenas uns bons peixes-zebra de dois centímetros, mas você dificilmente pode perdê-los no aquário crepuscular. Eles brilham em vermelho brilhante ou verde brilhante. Quanto mais escuro o ambiente, mais intenso. Porque eles carregam genes de anêmonas do mar, águas-vivas ou corais que foram construídos em laboratório. Esses peixes GM são muito populares – e legais – residentes de aquários em alguns lugares. Mas no sudeste do Brasil, eles escaparam de fazendas de criação em vários lugares e agora estão brincando em vários rios ilegalmente. É o que relatam pesquisadores na revista Studies on Neotropical Fauna and Environment .

De fato, o comércio de peixe-zebra transgênico foi proibido no Brasil desde 2017. Em outros países, incluindo Suíça, Austrália e toda a UE, o comércio e a manutenção de pequenas criaturas coloridas é proibido há muito tempo. Existe o risco de que o peixe possa escapar para a natureza, com efeitos desconhecidos no ecossistema afetado, disse o comunicado.

Projetado para detectar corpos d’água contaminados

Aparentemente, essa preocupação não é compartilhada nos EUA ou em Taiwan, onde os peixinhos coloridos estão disponíveis há quase duas décadas. E tão popular que a empresa texana Glofish, que detém os direitos de patente mundial do peixe neon, agora não apenas oferece peixes-zebra transgênicos em várias cores brilhantes, mas também equipou outros peixes ornamentais, como farpas de Sumatra e tetras longfin com os genes de brilho.

Os peixes GM foram inventados por pesquisadores da Universidade de Cingapura em meados da década de 1990. Foi usado para verificar a qualidade da água. O primeiro peixe-zebra transgênico brilhou em verde quando certos produtos químicos estavam presentes na água. No entanto, este aplicativo não pegou.

Comércio apesar da proibição

No Brasil, os peixes brilhantes são tão populares que, apesar da proibição, milhares deles são mantidos em grandes aquiculturas todos os anos. Houve os primeiros relatos de espécimes individuais escapados já em 2015. Mas para o estudo que agora foi publicado, dados confiáveis ​​foram coletados pela primeira vez.

Para isso, os pesquisadores analisaram de perto uma grande área com 350 pisciculturas e 4.500 tanques de reprodução na Mata Atlântica, no sudeste de Minas Gerais. Os peixes foram coletados em intervalos regulares em rios nas imediações dos tanques de criação, usando redes de malha fina.

Tanto o peixe-zebra GM vermelho brilhante quanto o verde venenoso se contorciam nele de tempos em tempos, mas apenas alguns espécimes cada. Seu conteúdo estomacal mostrou que eles se alimentaram principalmente de insetos aquáticos em vários estágios da vida, mas também de algas e zooplâncton. Aparentemente, os peixes-zebra que escaparam também eram capazes de se reproduzir. Isso foi revelado por exames de seus órgãos sexuais.

zebra 2

Glowfishes vendidos nos EUA chamados Sunburst Orange, Galactic Purple, Electric Green e Starfire Red (de cima para baixo) Paulo de Oliveira/Imago

No entanto, ainda não está claro se os peixes geneticamente modificados realmente se multiplicam nos rios de forma permanente e se uma população independente se estabeleceu fora dos tanques de reprodução. Uma vez que estes são pescados várias vezes por ano e depois esvaziados no fundo para limpeza, também é provável uma “liberação” não intencional regular. Como os tanques não tinham peneiras nos drenos nem tanques de retenção com peixes predadores para eliminar peixes criados em cativeiro, escrevem os pesquisadores. Isso teria mostrado visitas no local, bem como relatórios dos agricultores.

Aquicultura segura necessária

Essas medidas de segurança devem agora ser instaladas em todos os lugares imediatamente, exigem os cientistas – não apenas por causa de alguns peixes-zebra coloridos que escaparam. Porque nos rios brasileiros nas proximidades das pisciculturas já se encontram mais de 70 espécies de peixes não nativos, em uma das regiões mais ricas em espécies do planeta e, portanto, uma das mais dignas de proteção.

Os efeitos das espécies invasoras de peixes nos respectivos ecossistemas são imprevisíveis. Pode haver competição por comida e áreas de desova, bem como ataques mútuos. Isso agora também está sendo investigado para peixes geneticamente modificados. Numerosos exemplos de muitos países mostram como as espécies invasoras superam as nativas.

Atualmente, é improvável que os genes de luz embutidos do peixe-zebra nos rios do Brasil se espalhem amplamente para outros peixes. Para isso, os peixes geneticamente modificados teriam que encontrar parceiros sexuais adequados para eles, ou seja, outros peixes-zebra. Mas estes não são nativos do Brasil. Os ancestrais dos habitantes do aquário vêm dos rios do Himalaia. No entanto, peixes-zebra escapados e não transgênicos também foram encontrados em rios brasileiros.

blue compass

Este texto foi originalmente escrito em alemão e publicado pelo jornal “Neue Zürcher Zeitung” [Aqui!].

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s