Saúde em caos: Campos sem vacina antirrábica

vacina

Durante os festejos de fim de ano sofri um pequeno acidente com animais domésticos que me obrigou a procurar assistência médica em Telêmaco Borba, uma cidade com população abaixo dos 100.000 habitantes no interior do Paraná. Pois bem, nos dois locais em que fui atendido tive assistência no estilo “the flash” e recebi as vacinas que me foram indicadas pelo médico que me atendeu na emergência de uma hospital particular.

Como a segunda dose estava programada para um domingo, retardei o meu retorno a Campos e procurei um unidade municipal de pronto atendimento, onde recebi o tratamento após preencher uma ficha do Sistema Único de Saúde para não moradores.

Pois bem, já de volta a Campos tive a notícia de que não existe na unidade municipal local doses da vacina antirrábica de que necessito conforme estipulado em Telêmaco Borba! E o pior é que não há expectativa de quando este medicamento estará disponível para mim e qualquer outro cidadão campista que necessite ser vacinado contra a raiva!

No meu caso a coisa não é tão grave porque o animal está sendo acompanhado desde o dia em que o problema se deu. Mas para aqueles menos afortunados que foram atacados em Campos por animais de rua cuja população é para lá de numerosa, como é que ficam?

E isto numa cidade cuja administração se apresenta como diferente do (des) governo Pezão no tocante ao caos imperando no sistema estadual de saúde. Só que não!

A prisão da empresária e as dívidas da PMCG

Clique na foto para ampliá-la

Uma coisa que eu ainda não entendi no caso envolvendo a prisão da proprietária da empresa Nutrindo” SID – Serviço de Internação Domiciliar LTDA-ME, Sara Evelin da Vega Ferraz, é o seguinte: a PMCG deve quanto para a empresa? É que tudo levar a crer que a dívida existe, mas no nobre vice-prefeito, Dr. Chicão, não conseguiu oferecer números,

Agora duas coisas que saltam aos olhos: 1) a profundidade do processo de privatização de serviços públicos essenciais, e 2) a rápida prisão da empresária. No segundo item, o que eu ardentemente gostaria é que o MP mostrasse a mesma velocidade e contundência em outros casos. Seria tão bom para a nossa sociedade, não acham?

E para concluir, deixa aqui uma outra pequena pergunta: será que vai virar regra mandar prender empresários que possuem papagaios pendurados e decidem suspender os serviços prestados à PMCG? Se a resposta for sim, acho que vamos assistir um novo tipo de boom na construção civil em Campos dos Goytacazes, qual seja, o causado por novos presídios e celas em DPs.

Divullgação da Campanha Pare TKCSA

pare t kcsa

Nesse momento precisamos apoiar e participar da Campanha Pare TKCSA (Companhia Siderurgica do Atlântico) ampliando a divulgação para os crimes e violações cometidos pela empresa, no bairro de Santa Cruz, Rio de Janeiro. A empresa funciona desde 2010 sem licença de operação, tipificando a ilegalidade. Os prazos para cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) junto ao INEA já expiraram, e, além de não terem cumprindo os acordos, neste momento (próximos dias) o Estado pode conceder a licença de operação para a empresa, o que seria a consagração da poluição e dos impactos sobre a vida de centenas de famílias e trabalhadores.

Peço para que divulguem ao máximo em suas redes a Campanha Pare TKCSA, e que esta mensagem ganhe ressonância no parlamento, nos movimentos sociais, nas redes e demais articulações, aqui, no Brasil e no mundo

Acessem o blog paretkcsa.blogspot.com.br

Abaixo segue link para matéria onde a FIOCRUZ desmente a TKCSA com documento encaminhado ao Ministério Público do Rio de Janeiro.

http://www.epsjv.fiocruz.br/index.php?Area=NoticiaInterna&Num=298

O caso é muito grave!

DIVULGUEM!