O espectro de uma nova greve ronda a UENF. Adivinhe quem são os culpados!

greve

Após passarem o ano de 2013 numa penosa e infrutífera negociação com a Secretaria de Planejamento e Gestão do (des) governo Sérgio Cabral, em assembléia realizada no dia de hoje (16/01) os professores da UENF demonstram um certo cansaço com essa forma “paz e amor” de cobrar seus direitos.  Como resultado foi aprovada uma proposta que indica para o início de uma nova de professores que deverá impedir o início do primeiro período de 2014.

À primeira vista, os culpados pela greve serão os professores, afinal eles o estarão fazendo. Mas um olhar mais profundo identificará que existem dois grandes culpados pela possível instauração dessa greve: a reitoria da UENF e o 9des) governo Cabral. Afinal, esses dois setores vem atuando de forma coordenada para minar a justa demanda de que o pagamento do Adicional de Dedicação Exclusiva dos professores da UENF não seja usado como um instrumento para desmantelar o modelo institucional criado por Darcy Ribeiro. 

Aliás, a proposta do (des) governo Cabral é tão ruim que propõe oferecer 35% de Adicional de Dedicação Exclusiva (enquanto que na UERJ o valor pago é 65%) para, em troca, quebrar a espinha dorsal do modelo institucional da UENF que é ancorada num quadro docente exclusivamente formado por doutores que se dedicam com exclusividade às suas tarefas acadêmicas dentro da instituição.

No tocante ao (des) governo Cabral, a tentativa de sucateamento da UENF não aparece apenas na proposta de precarizar o regime de trabalho dos docentes. A coisa está cada vez pior na questão orçamentária, sendo que o orçamento de 2014 é menor do que o de 2013 que, aliás, já havia sido menor que o de 2012. Nesse caso, a combinação de orçamentos curtos e corpo funcional precarizado é apenas uma consequência da opção de precarizar a educação superior nos mesmos moldes que já se precarizou a escola pública até o ensino médio. 

Assim, antes que se reclame dos professores, os que eventualmente se sentirem incomodados pelo espectro de uma nova greve tem mais é que cobrar que o (des) governador Sérgio Cabral ofereça as condições mínimas de funcionamento para uma universidade que é considerada pelo MEC como a melhor do Rio de Janeiro e a décima-quinta do Brasil.  Do contrário, a UENF ainda vai seguir o mesmo destino trágica da Universidade Gama Filho e da UNIVERCIDADE. Pode demorar um pouco, mas vai acontecer.

2 pensamentos sobre “O espectro de uma nova greve ronda a UENF. Adivinhe quem são os culpados!

  1. […] Neste momento, ele trabalha com todo o seu mau caráter para levar os professores da UENF a uma greve, já que há um ano eles vêm sendo engabelados pelo governo do Estado e pelo próprio reitor quanto ao pagamento do adicional de dedicação exclusiva, como denunciou o professor Marcos Pedlowski em seu blog  […]

  2. Valdecy Alves disse:

    Assista ao documentário gravado por Dr.Valdecy Alves em que debate as principais violações à Lei do Piso do professor, Lei Federal nº 11738/2008, gravado na manhã de 06/03/2014. Além da análise de cada uma das violações desde 2008, demonstra as principais fraudes praticadas contra direitos dos professores contidos na lei e da educação de qualidade. http://valdecyalves.blogspot.com.br/2014/03/documentario-sobre-lei-do-piso-violada.html

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s