Fornecimento de água no Porto do Açu: mais uma vez aparece a distância da propaganda à realidade

agua-marpem

Apesar de toda a propaganda (e auto propaganda) que cerca o Porto do Açu, eu sempre me reservo a ser incrédulo em relação a todas as promessas que são feitas de que o megaempreendimento iniciado pelo ex-bilionário Eike Batista sairá do campo do potencial (que efetivamente possui) para uma realidade. É que são tantas as pontas soltas que eu fico sempre com a impressão que um dia ou outro seremos brindados com um toque salgado de realidade que apagará toda a propaganda.

Vejamos agora o comentário que eu recebi de um leitor no dia 28/06 acerca do transporte de água pela empresa MARPEM para um suposto uso no interior do Porto do Açu:

comentario

Como  a Águas do Paraíba S.A. é “uma sociedade de propósito específico, responsável pela captação, tratamento e distribuição de água tratada, bem como pela coleta e tratamento de esgoto sanitário na área urbana do Município de Campos dos Goytacazes(Aqui!), achei que havia algo estranho na narrativa oferecida pelo leitor. Não por duvidar da narrativa, mas porque ao menos formalmente a Águas do Paraíba não poderia estar vendendo água para ser utilizada no Porto do Açu.

Entretanto, por estar ocupado com outros assuntos, não tive como buscar fatos que negassem ou comprovassem que estaria havendo ou não essa aquisição de água em Campos dos Goytacazes para uso no Porto do Açu.

Eis que hoje ao acessar o Portal Viu!, encontrei uma matéria sobre o uso de água contaminada no Porto do Açu que efetivamente confirmou a informação oferecida pelo leitor deste blog, seja em termos da empresa transportadora como do local de retirada do produto (Aqui!).

A matéria da Viu! traz a resposta apenas da Águas do Paraíba, já que tanto a Prumo Logística como a Marpem não haviam oferecido suas posições sobre o assunto até o fechamento da matéria.  Mas a própria resposta da concessionária de águas e esgotos de Campos dos Goytacazes abre caminho para novas questões ao afirmar que o seu “contrato de concessão é para atendimento no município de Campos dos Goytacazes e que não há qualquer ligação com o problema em questão.”   Afinal, as declarações tanto do leitor deste blog quanto do denunciante citado pela Viu! oferecem informações bem específicas não apenas sobre o uso de caminhões da MARPEM, mas também do local de onde a água estaria sendo coletada para ser transportada para o Porto do Açu, qual seja, a ETA que existe ao lado do Walmart (mais precisamente na Avenida Arthur Bernardes).

É sempre importante lembrar que no projeto original do Porto do Açu havia a proposta de uma adução do Rio Paraíba do Sul que deveria atender plenamente as demandas presentes e futuras do empreendimento, num volume de água que poderia atender uma cidade de 2,8 milhões de pessoas (Aqui! e Aqui!).  O problema é que depois de todas as idas e vindas que o Porto do Açu experimentou, essa parte do projeto não parece ter saído dos croquis (ver planta abaixo).

Capatação de água para o Açu-2

Finalmente, como já abordei aqui em diferentes ocasiões o problema da salinização de águas e solos no V Distrito de São João da Barra em função das deficiências técnicas ocorridas na construção do aterro hidráulico do Porto do Açu. Agora, com esse imbróglio que foi parar até na  134ª DP, vamos aguardar o que acabará transpirando sobre a questão do abastecimento de água no porto. A ver!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s