Desmatamento para instalação de monoculturas está causando o colapso dos estoques de carbono na transição Amazônia-Cerrado

Resultado de imagem para amazon cerrado transition carbon stocks

Pouco dias depois da mídia corporativa dar destaque à publicação assinada pelos pesquisadores Carlos Nobre e Thomas Lovejoy sobre a iminente aproximação de um limiar de colapso para a floresta amazônica, recebi um artigo que deveria também receber a devida atenção, pois as descobertas que o mesmo traz adicionam ainda mais luz sobre os intrincados processos disparados pelo processo de desmatamento para a implantação de monoculturas nos estoques de carbono dos solos.

O trabalho intitulado “Collapse of ecosystem carbon stocks due to forest conversion to soybean plantations at the Amazon-Cerrado transition” (ou em português “Colapso dos estoques ecossistêmicos de carbono devido à conversão de florestas em monoculturas na transição Amazônia-Cerrado) foi publicado pela revista “Forest Ecology and Management” e tem como autora principal a professora Isabelle Bonini do campus da Universidade Estadual do Mato Grosso no município de Xavantina (ver imagem abaixo).

estoques carbono

A principal descoberta do estudo tem a ver com a produção de estimativas para as perdas de pelo menos um terço do estoque de carbono existentes nos solos após a implantação das monoculturas, fossem elas compostas por culturas temporárias (soja, por exemplo) ou permanentes (plantios de árvores).  Também encontradas diminuições significativas nos sistemas de raízes finas, inclusive nas monoculturas de árvores. Mais importante ainda foi a diminuição do estoque de carbono na biomassa acima do solo.  Esta perda foi associada à remoção anual da soja, a qual remove  anualmente quantidades significativas de carbono deste compartimento.

Como resultado desse processo de conversão de florestas em monoculturas, os autores do estudo detectaram grandes perdas na biodiversidade e a perda de importantes funções cumpridas pelos ecossistemas que estão sendo impactados pelo desmatamento. Mas mais importante ainda foram as estimativas obtidas para a emissão de carbono para a atmosfera, resultados esses que poderão aperfeiçoar a acurácia e a precisão dos modelos climáticos existentes.

Enquanto isso, o Supremo Tribunal Federal analisa os trechos mais polêmicos do chamado Código Florestal, mantendo intactos alguns elementos para os quais a comunidade científica já ofereceu evidências suficientes para a sua proibição.  Em suma, como prova mais este trabalho, a facilitação do processo de destruição dos biomas amazônicos e do Cerrado não está se dando por falta de conhecimento científico, mas sim pela decisão de ignorar o que a ciência já produziu,  apenas para que o processo de agricultura destrutiva adotada pelo latifúndio agroexportador continue avançando impune.

 

 

3 pensamentos sobre “Desmatamento para instalação de monoculturas está causando o colapso dos estoques de carbono na transição Amazônia-Cerrado

  1. […] Desmatamento para instalação de monoculturas está causando o colapso dos estoques de carbono na t… […]

  2. Lourdes disse:

    Um crime hediondo de lesa divindade! Nossa mãe natureza!!!
    Muito triste!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s