Indolência, malandragem e o DNA do brasileiro, segundo o vice de Jair Bolsonaro

Inaugurando sua condição de candidato a vice-presidente na chapa encabeçada pelo deputado federal Jair Bolsonaro, o general Antonio Hamilton Mourão decidiu ir fundo nas elaborações do seu companheiro ao afirmar que o Brasil é uma economia periférica por causa da “indolência” do índio e a “malandragem” do negro [1].

vice bolsonaro

Mourão ainda arrematou dizendo que “infelizmente gostamos de mártires, líderes populistas e dos macunaímas“, adicionando ainda que ” Isso faz parte do DNA do brasileiro. Nós não somos nenhuma raça pura. Somos uma amálgama dessas culturas“.

Por mais que se saiba que a chapa Bolsonaro/Mourão possui um parcela do eleitorado que não só pensa a mesma coisa, mas como compartilha, digamos, a sinceridade da dupla, há que se ver qual é efetivamente a razão desse tipo de manifestação que nos remete às formas mais explícitas de validação de teses eugenistas. Ampliação da quantidade de votos não me parece ser a mais prioritária.

O que parece cada mais claro é que Jair Bolsonaro e seu parceiro de chapa estão dispostos a cumprir nestas eleições o papel de boi de piranha para ver se consegue atravessar a sua caravana para outras batalhas eleitorais.

De toda forma, as declarações do general Mourão mostram que se tem quem acha que essa campanha presidencial será de baixo nível, o nível pode ser bem pior do que esses pessimistas estão achando.

De minha parte, como já testemunhei a luta de vários grupos indígenas para sobreviver em suas aldeias e acompanho todos os dias o trabalho duro que os negros brasileiros são obrigados a cumprir em condições completamente desiguais em termos de qualidade de vida e salários pagos, só posso lamentar que um general da reserva não se sinta constrangido a não emitir este tipo de opinião rasa e desconectada das verdadeiras razões pelas qusis o Brasil não alcança seu potencial estratégico.  


[1] https://oglobo.globo.com/brasil/vice-de-bolsonaro-diz-que-brasileiro-herdou-indolencia-do-indio-malandragem-do-africano-22955042#ixzz5NRx9rwZg

2 pensamentos sobre “Indolência, malandragem e o DNA do brasileiro, segundo o vice de Jair Bolsonaro

  1. pcsm53 disse:

    Caro prof…o Sr. sempre demonstrou…pelo menos por aqui…estar acima das Ideologias Nefastas…mas hoje…o Sr. me decepcionou com esta sua análise…RASA e de BAIXO NÍVEL…É de se lamentar…que boa parte de nossa Cátedra…não esteja comprometida com a VERDADE…!!! Graças a esta Ideologia Nefasta…que assola nosso país desdes os tempos de GV…se aproveitando da Indolência…da Malandragem…do Amálgama do qual somos compostos…que líderes Populistas se aproveitam…!!! Rogo ao Criador que esta chapa de raízes Brasileiras amalgamadas…vença sua Ideologia Nefasta…Abraços…

    • Caro leitor, não se engane, ninguém está acima das ideologias, na medida em que são elas que guiam as nossas opções pessoais e coletivas. O que eu tento fazer é oferecer análises e opiniões que não sucumbam às paixões e irracionalidades. Vejo que você compactua com a hipótese da amálgama, o que considero lamentável. Você deveria se ocupar mais com leituras que explicam o nosso lugar na divisão internacional do trabalho como ex-colônia portuguesa. Talvez aí você pare de compartilhar com hipóteses que não possuem qualquer fundamento. Quanto à sua chapa para as eleições, paixões à parte, reafirmo que não considero que haja espaço real para sua vitória e, quando muito, estão aí para ampliar o espaço de um perfil ideológico dentro da sociedade brasileira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s