Jair Bolsonaro e Paulo Guedes são dois boquirrotos certos da impunidade. Mas até quando?

guedes bolso

O governo Bolsonaro é caracterizado, entre outras coisas, pela língua solta de suas principais figuras a começar pelo próprio presidente e seu todo poderoso ministro da Economia, o banqueiro Paulo Guedes.  A tática parece obviamente tirada da cartilha da ultradireita estadunidense, e os ataques ácidos são usados para ridicularizar e colocar na defensiva todos aqueles que possam ser vistos como insurgentes contra a deconstrução das políticas ultraneoliberais que estão sendo implantadas no Brasil desde janeiro de 2019.

Hoje o alvo do ministro Paulo Guedes foram os servidores públicos de quem o governo Bolsonaro quer remover nada menos do que 25% dos salários à guisa de equilibrar as contas públicas, mas que na prática visa apenas aumentar a capacidade do governo federal de injetar dinheiro nos bancos sob a  desculpa de pagamento da dívida pública. Falando a uma plateia seleta em uma palestra proferida na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV EPGE), Paulo Guedes equiparou  todos os servidores públicos brasileiros a parasitas. A razão do ataque? O fato dos servidores exigirem o reajuste anual dos salários, de modo a, pelo menos, repor as perdas inflacionárias.

parasitas

Já o presidente Jair Bolsonaro, em uma das célebres saídas na porta do Palácio do Planalto soltou a língua para atacar os ambientalistas que se opõe ao seu projeto de liberação total das terras indígenas para empreendimentos variados que vão desde a mineração, passando pela agropecuária, e incluindo ainda a construção de hidrelétricas. Para Bolsonaro, os ambientalistas que se opõe ao seu projeto não passam de pessoas de “paletó e gravata, uísque, carpete, vendo televisão a noite toda e, também né, fumando um cigarrinho ‘legal’ a noite toda“. Em outras palavras, o presidente Bolsonaro aparentemente rotulou todos os que se opõe ao seu projeto para as terras indígenas como almofadinhas que são usuários de drogas.

bolsonaro ambientalistas

As declarações de Guedes e Bolsonaro são claramente exageradas e atingem  dois segmentos inteiros com rótulos que eles sabem não serem merecedores do ataque que realizam. Mas isso não os impede de se pronunciar dessa forma, nem temer repercussões judiciais por dizerem algo que é violador dos direitos constitucionais de todos os atingidos.  A questão aqui é por que Guedes e Bolsonaro (e podem colocar aí também Abraham Weintraub e Ricardo Salles) se manifestam de uma forma que pode facilmente gerar processos judiciais e desgastes com segmentos inteiros?

A resposta é simples: porque eles sabem que a reação nunca será à altura do ataque que fizeram, se as coisas não mudarem radicalmente no Brasil. Em outras palavras, esculacham servidores públicos e ambientalistas porque sabem que sairão impunes.  Resta saber apenas até quando os que são caluniados e injuriados vão continuar assistindo a este show de horrores de forma apática e omissa. 

Uma coisa é certa: se não houver reação, os ataques de hoje serão apenas uma gota no oceano dos ataques que ainda virão. 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s