Em artigo na Science, Philip Fearnside aborda efeitos ambientais da crise política brasileira

O biólogo Philip Fearnside é certamente um dos mais conhecedores das diferentes dimensões que cercam o funcionamento dos ecossistemas e instituições amazônicas. Tendo chegado ao Brasil na década de 1970, Fearnside é parte do corpo de pesquisadores do Instituto de Pesquisas da Amazônia (Inpa) onde construiu uma impressionante carreira acadêmica, tendo publicado mais de 300 artigos científicos e quase 200 capítulos de livros com foco na Amazônia brasileira.

Pois bem, em um artigo publicado no dia de hoje (19/08) pela revista Science ocm o título “Brazilian politics threaten environmental policies”, Fearnside aborda de forma compreensiva os riscos que a hegemonia política de setores anti-ambiente está ameaçando destruir mais de 40 anos de progresso na área da proteção ambiental.

Entre as principais ameaças citadas por Philip Fearnside em seu artigo na Science estão a PEC 65 que tornará desnecessário a realização de estudos mais amplos para a liberação de empreendimentos com potencial de degradar o ambiente e o Projeto de Lei 654/2015 que busca garantir a realização do que eu alcunho de “licenciamento ambiental Fast Food” para grandes obras como é o caso da hidrelétricas e estradas na Amazônia.

Um aspecto que eu considero especialmente pertinente na análise feita por Fearnside é o da necessidade de que a comunidade científica  e outros segmentos trabalhando  acerca da questão ambiental na Amazônia não sucumbam a uma noção fatalista de que a luta para impedir os ricos ecossistemas amazônicas é uma causa perdida, e que a produção de conhecimento científico jogará um papel central para o desenvolvimento de políticas ambientais que garantam um futuro melhor para o Brasil.

Eu adicionaria que além de se evitar uma postura fatalista em relação ao avanço da destruição na Amazônia, a comunidade científica (em especial a brasileira) deveria voltar a fazer pesquisa “no chão”, visto que um dos principais problemas que eu venho identificando na produção mais recente é um exagero em estudos que não possuem uma boa validação de campo, o que tem aberto espaço para a produção de uma visão míope de que os problemas em torno da conservação dos ecossistemas amazônicos já passaram a sua fase mais crítica. 

Com seu artigo, Fearnside nos mostra que os riscos que enfrentamos neste momento são muito altos para que fiquemos numa visão idílica da situação da proteção ambiental dos importantes biomas que existem no Brasil.

Para quem desejar ler o artigo de Philipe Fearnside na íntegra, basta clicar Aqui!

Um pensamento sobre “Em artigo na Science, Philip Fearnside aborda efeitos ambientais da crise política brasileira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s