(Des) governo Pezão e os servidores: medo de uns, descaso completo com outros

pezao cabral

A relação do (des) governo Pezão com os servidores estaduais é definitivamente marcada por uma dicotomia que não pode ser mais escondida: medo de uns, completo descaso para outros.   Essa dicotomia fica evidente na última decisão de que começar a pagar os salários de Fevereiro dos servidores da segurança e da educação sem que se tenha quitado o devido a mais de 100 mil servidores de órgãos que não possuem nem o armamento ou a quantidade de pessoas para exercer pressão.

A questão que já deve (ou deveria) estar clara para o conjunto dos servidores é que não há falta de dinheiro nos cofres estaduais, mas sim uma alocação de pagamentos que coloca os interesses e necessidades dos servidores num solene e distante último lugar nas prioridades deste (des) governo.

Enquanto isso, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) que privatizou a toque de caixa a CEDAE se coloca na condição de cúmplice desta situação. Ontem (08/3) por exemplo, aprovaram em primeira discussão o parcelamento em 10 vezes do pagamento do IPVA para os servidores estaduais e pensionistas (Aqui!). Ora, que grande consolação! É que diante do aumento das dívidas e da falta de condições de manter suas famílias, a última coisa com que os servidores irão se preocupar será com o pagamento de impostos. 

A verdade é que qualquer saída para a atual crise passa pelo conjunto dos servidores tomando consciência de que as soluções para seus problemas não vão aparecer no que depender do (des) governo Pezão ou da Alerj, mas sim de uma mobilização que possa desembocar numa greve geral. É claro que provavelmente para poder fazer isso, os servidores vão ter que derrotar parte da sua própria estrutura sindical que claramente já entrou em acordo com o (des) governo Pezão e com sua base na Alerj para obter vantagens pontuais e setorizadas.

E quanto antes os servidores entrarem no processo de construção de uma greve geral, melhor. Do contrário, até o final deste primeiro semestre, o morimbundo (des) governo Pezão terá aprovado o seu pacote de Maldades. A ver!

4 pensamentos sobre “(Des) governo Pezão e os servidores: medo de uns, descaso completo com outros

  1. sandra disse:

    Ontem os servidores CELETISTAS da saude receberam integralmente seus salários de FEVEREIROS mas os ESTATUTARIOS da saude trabalhando e convivendo no mesmo hospital so receberam a SEGUNDA parcela do salario de JANEIRO! FILOSOFIA DO PEZAO SE PODEMOS DIVIDIR PARA QUE SOMAR…

  2. Sílvia Gonçalves disse:

    E, o quanto antes os SERVIDORES DA UENF entrarem em UM CONSENSO para “o processo de construção de uma greve geral”, MELHOR! Visto que, agindo ao contrário da UERJ e UEZO, a UENF estará contribuindo (na ocupação sem normalidade até o final deste 1o. semestre) para a aprovação do “Pacote de Maldades” do DESgoverno Pezão.

  3. Antonio Luiz Ayres disse:

    Lamentável a atuação do SINTUPERJ submisso às autoridades de plantão e principalmente ao comportamento da ADUENF,o que nos faz crer que seus dirigentes e associados estejam absolutamente felizes com a situação calamitosa da Universidade haja vista seu silêncio tumular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s