Conflito da mineração em Belisário: equipe do Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos se encontra com autoridades

A ameaça de morte ao Frei Gilberto Teixeira, líder da resistência comunitária contra a expansão da mineração da bauxita na região de entorno do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro (PESB) que foi revelada neste blog no dia 20 de Fevereiro (Aqui ) continua causando repercussões importantes.

Abaixo posto uma reportagem preparada pela Rádio Muriaé e repercutida no site da Associação Mineria de Rádio e Televisão (Amirt) sobre uma visita da equipe do Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos em Minas Gerais (PPDDH-MG) que estiverem na cidade de Muriaé para verificar como andam as apurações do atentado cometida contra o Frei Gilberto.

Uma coisa é certa: essas repercussões todas devem ter deixado os mandantes do atentando bastante preocupados, o que vem a ser irônico, pois quem queria ameaçar e agora deve estar se sentido acuado. É o famoso “tiro pela culatra”.

Caso Frei Gilberto: integrantes de Programa de Proteção se encontram com autoridades

Integrantes da equipe do Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos em Minas Gerais (PPDDH-MG), designados para atuar no caso de Frei Gilberto, que dirige a paróquia do distrito de Belisário e denunciou ter sofrido uma ameaça direta de morte no dia 19 de fevereiro, se encontraram com autoridades em Muriaé, nesta quinta-feira (23).

Pela manhã, a técnica social, Benilda Britto, e a psicóloga, Aline Pacheco, foram à sede da Delegacia Regional da Polícia Civil, no bairro Safira, onde conversaram com o delegado Marcelo Aguiar, da 32ª DP, que preside o inquérito de apuração do caso.

O fato ganhou repercussão nacional e no último dia 14 o Secretário de Estado de Direitos Humanos, Nilmário Miranda, foi até o distrito para conversar com frei Gilberto. O secretário se reuniu também com representantes do Movimento Pela Soberania Popular na Mineração e moradores do distrito que se mostraram contrários a atividade mineração. Na ocasião, Nilmário Miranda anunciou que Frei Gilberto seria inserido no programa de proteção do estado.

Nesta semana foi divulgado pela Polícia Civil o retrato falado do suposto autor da ameaça, produzido pelo Instituto de Criminalística da PCMG, com base na descrição relatada por Frei Gilberto. A polícia ressalta que informações que levem à identificação e/ou localização do suspeito, podem ser repassadas de forma anônima, com total sigilo, através dos números 197 ou 181 (Disque Denúncia)

Programa de Proteção vai integrar vários órgãos

Em entrevista à repórter Gilson Jr. da Rádio Muriaé, Benilda Britto disse que ela e Aline estiveram, na quarta-feira (22), com o bispo da Diocese de Leopoldina, Dom José Eudes e que nesta quinta (23), tem encontros marcados com o comando da Polícia Militar em Muriaé, bem como com o prefeito e integrantes da comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal.

Segundo Benilda, uma das formas de trabalho do PPDDH-MG é o acionamento de diversos órgãos visando uma atuação em rede com o objetivo de possibilitar que a vítima permaneça em seu lugar de militância, e possa dar sequência às suas atividades com segurança. Ela explicou que em último caso, medidas emergenciais são tomadas, como por exemplo, escolta policial, sempre visando resguardar a integridade física da pessoa assistida.

A técnica social argumentou que a ameaça não foi apenas ao religioso: “esse atentado foi contra toda a comunidade que acredita nos direitos humanos e querem garantir os direitos ambientais, porque nós sabemos o estrago que causa na região com a chegada de uma mineração. Juntos vamos investigar, e queremos deixar um recado para quem está querendo intimidar e amedrontar. Junto com a polícia e outras instituições não vamos nos calar e o frei vai continuar seu trabalho”, afirmou.

Frei Gilberto é um dos líderes do movimento de resistência à mineração no Parque Estadual Serra do Brigadeiro. De acordo com o religioso, a ameaça está ligada a sua militância junto aos moradores e produtores rurais contra a atividade na região, no entanto, não afirma que o ato tenha partido da empresa.  

Logo após o ocorrido a Diocese de Leopoldina divulgou nota de repúdio a ameaça e anunciou as medidas que haviam sido tomadas

Texto: Rádio Muriaé – reprodução na íntegra ou parcial do conteúdo (texto e imagem) permitida somente mediante crédito.

FONTE: https://www.portalamirt.com.br/radio-muriae/caso-frei-gilberto-integrantes-de-programa-de-protecao-se-encontram-com-autoridades/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s