Ciência brasileira sob grave perigo. CNPq está à beira da falência

 

vaca-brejo_1

Em matéria bastante completa, o jornalista Herton Escobar do “O ESTADO DE SÃO PAULO” mostra que o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico Tecnológico (CNPq) se encontra objetivamente em estado falimentar por causa do processo de congelamento de seu orçamento pelo governo “de facto” de Michel Temer  [Aqui!].

A situação é tão crítica que já em Setembro, o CNPq ficará sem orçamento e, consequentemente, impedido de pagar bolsas e liberar os recursos para projetos científicos. Isto se dá por uma decisão deliberada de contingenciar recursos de áreas estratégicas para continuar alimentando a ciranda financeira e também o intenso processo de lobby que está sendo realizado no congresso nacional para impedir o início do processo de impeachment do presidente Temer. Aliás, chega a ser vexaminoso comparar o sufoco imposto ao CNPq com a milionárias verbas que foram angariadas a toque de caixa pelos parlamentares que irão rejeitar hoje o início do processo de impeachment de um presidente acusado de corrupção passiva.

Por outro lado, um dos gráficos mostrados na matéria e que vai logo abaixo mostra que em termos nominais os investimentos feitos pelo CNPq retornaram aos níveis de 2004, o que representa uma verdadeira tragédia para a manutenção do sistema nacional de ciência e tecnologia e perdas ainda maiores para o Brasil, já que a importação de tecnologia aumentará brutalmente os gastos nacionais.

CNPq_dispêndios_2001-2017-1

Mas o que pode ser uma perda incalculável para o desenvolvimento econômico do Brasil num futuro muito previsível poderá se tornar um drama presente para mais de 90 mil bolsistas e 20 mil pesquisadores que dependem diretamente dos desembolsos feitos pelo CNPq para sobreviverem enquanto se dedicam ao avanço da ciência nacional. Contudo, o que pode ser um drama pessoal momentâneo pode ser um agravante grave para o sucateamento da ciência brasileira, na medida em que muitos dos pesquidadores que serão afetados deverão sair do Brasil para continuar as suas carreiras científicas.

A verdade é que é preciso que seja iniciada uma ampla mobilização para pressionar o governo Temer a aplicar o orçamento aprovada numa área tão estratégica como é a da ciência e tecnologia. É que se depender de Michel Temer e Henrique Meirelles todo o dinheiro cortado do CNPq vai ser entregue aos bancos que hoje são os únicos a lucrarem com a grave crise econômica em que estamos afundados.

Nunca é demais lembrar que a China aprovou e já está implementando fortes investimentos no seu ministério voltado para o desenvolvimento científico. Não fica difícil prever quem vai tornar ainda mais forte economicamente nas próximas décadas se o atual ataque ao CNPq não for imediatamente revertido. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s