Governo Temer corte R$ 3,4 bilhões de programas sociais para bancar acordo com caminhoneiros

fora temer

A greve nacional dos caminhoneiros ofereceu uma possibilidade de ouro ao governo “de facto” de Michel Temer para realizar uma série de ataques às políticas sociais em diversas áreas ao jogar no colo dos brasileiros, especialmente os mais pobres, o custo da redução no preço do diesel,  coma realização de cortes estimados em R$ 3,4 bilhões em áreas mais do que estratégicas como saúde, educação e SUS [1]. 

Pela ordem, os cortes realizados por Temer e seu equipe vão implicar em 1) menos dinheiro para políticas à juventude; 2) menos dinheiro às políticas de violência contra mulheres; 3) menos dinheiro nas políticas associadas às drogas e  4) menos dinheiro para o sistema único de saúde (SUS). 

De quebra, o acordo celebrado com os caminhoneiros vai garantir a política de aumento nos preços da gasolina que o tucano Pedro Parente vem realizando para turbinar os ganhos dos acionistas da Petrobras, especialmente aqueles que estão operando nas bolsas internacionais como a de Nova York, por exemplo.

Assim, ainda que os caminhoneiros estivessem no seu mais justo direito de cobrar mudanças para melhorar sua renda em meio a um tipo de trabalho extremamente desgastante como é o do transporte rodoviário, o custo final de sua vitória está sendo colocado, até de forma fácil, pelo governo Temer nas costas de quem vem sendo rapidamente recolocado abaixo da linha da miséria.

Enquanto isso fica intacta a política de preços criada por Pedro Parente e que vai continuar causando aumentos quase diários no preço da gasolina, enquanto viabiliza o avanço do processo de desmanche e privatização da Petrobras.

Mas a culpa disso para mim não é dos caminhoneiros. Os culpados pela forma tranquila que o presidente mais impopular da história da república brasileira vem operando contra a população é dos partidos políticos da esquerda institucional, centrais sindicais e movimentos sociais que não agem para mobilizar a população para cobrar a imediata derrubada derrubada de Michel Temer e seu governo anti-nacional e anti-popular.  Essas forças políticas têm preferido se eximir de suas responsabilidades, desmobilizando suas bases e contribuindo para esse gigantesco ataque aos mais pobres. Simples assim!


[1] https://brasil.elpais.com/brasil/2018/05/31/politica/1527790717_851019.html

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s