O longo braço do colonialismo digital do Facebook na Índia não deixa nem a comida de fora

Controle total: como o Facebook está impulsionando a monopolização do fornecimento de alimentos na Índia

india cartõesProtesto contra o poder corporativo: agricultores queimam cartões SIM Reliance Jio em Amritsar (30/09/2020)

Por Satyajeet Malik para o JungeWelt

Um estudo do grupo de jornalistas indianos The Reporters’ Collective, publicado em meados de março, está causando um rebuliço no país. De acordo com o relatório, o Facebook, a rede social de propriedade da empresa norte-americana Meta, cobra menos dinheiro para anúncios do partido nacionalista hindu Bharatiya Janati (BJP) do primeiro-ministro Narendra Modi do que de outros partidos políticos. Esses anúncios foram veiculados no Facebook por uma startup de tecnologia de propriedade da Reliance Industries (RI), como a Al-Jazeerarelatado. A RI é a maior empresa privada da Índia com monopólios no varejo, telecomunicações e petroquímica. No entanto, os relatórios são apenas uma pequena indicação da complexa colaboração entre o Facebook e a Reliance, que é um bom exemplo de “colonialismo digital”.

E o Facebook conquista a Índia

A Índia é o maior e possivelmente o mais importante mercado para o Facebook. Dos cerca de 1,4 bilhão de habitantes do país, cerca de 1,15 bilhão utilizam os serviços do Facebook, WhatsApp e Instagram, que também pertencem ao Meta. A Índia também é uma das maiores áreas de teste para novos produtos e recursos.

O Facebook há muito tenta ganhar uma posição mais forte no país, mas encontrou obstáculos. Ele falhou em 2016 com o lançamento de seu aplicativo Free Basics, que oferece acesso gratuito, mas limitado à internet. Várias organizações protestaram, acusando a Free Basics de monopolizar a Internet. O Whats-App queria lançar um aplicativo para pagamentos móveis (Whats-App Pay), mas encontrou vários obstáculos legais relacionados à privacidade. O serviço de mensagens também tentou atuar como um provedor de empréstimos para pequenas empresas. As coisas não estavam indo bem para o Facebook até conhecer a Reliance Industries.

Entre outras coisas, a empresa é proprietária da Reliance Jio, a maior provedora de telecomunicações da Índia, com quase 428 milhões de usuários. Também é proprietária da Reliance Jio Fibre, a segunda maior provedora de banda larga com 3,71 milhões de clientes. O RI também é o maior player no varejo, onde a mercearia online Reliance Jio Mart domina o mercado de US$ 900 bilhões. O RI também está a caminho de se tornar o maior comprador de produtos agrícolas e lançou o aplicativo Jio Krishi – uma plataforma para comprar diretamente dos agricultores. As duas plataformas – Jio Krishi e Jio Mart – estão conectadas.

A situação do Facebook na Índia mudou quando a empresa adquiriu uma participação de 9,9% na Reliance Jio por US$ 5,7 bilhões em 2020. Desde então, o Facebook recebeu permissão para adotar totalmente o WhatsApp Pay. O sistema de pagamento também integrou a plataforma de mercearias Reliance Jio Mart, o que significa que os pagamentos podem ser feitos ao Jio Mart sem sair do Whats-App. Além disso, estão agora a ser concedidos empréstimos a pequenas empresas até ao equivalente a 11.800 euros, que podem ser aprovados em dez minutos.

O poder de precificação

No entanto, o acordo Reliance-Facebook é muito mais do que apenas a entrada da empresa norte-americana no segmento de pagamentos móveis e empréstimos para pequenas empresas da Índia. Trata-se de um »controle de 360 ​​graus« sobre toda a cadeia de abastecimento alimentar.

Como já mencionado, o aplicativo Jio Krishi está conectado ao Jio Mart, que por sua vez está conectado ao Whats-App Pay. O aplicativo Jio Krishi não é apenas uma plataforma para compra de produtos agrícolas, mas também um serviço de análise de dados. Usando dados sobre terras agrícolas, o aplicativo informa os agricultores sobre o momento certo para semear, irrigar e fertilizar suas plantações. Estes Reliance mais tarde comprariam do fazendeiro. A integração do Jio Krishi com o Jio Mart e o Whats-App Pay forneceria à Reliance e ao Facebook informações completas sobre o que está sendo produzido, quais insumos são necessários para a produção e qual é a situação financeira do agricultor.

Para cada transação feita através do Whats-App Pay, o Whats-App obteria informações financeiras valiosas de seus usuários, que podem ser compartilhadas com o Facebook. O Facebook pode vender esses dados do usuário para terceiros, o que ajuda a empresa a gerar grandes receitas. Além disso, o acesso aos dados financeiros dos agricultores permitiria que o WhatsApp emitisse empréstimos com altas taxas de juros.

Um monopólio sobre o setor alimentar, o mercado retalhista e a distribuição retalhista ajudaria a Reliance a fixar os preços em toda a cadeia de abastecimento alimentar. Essa parceria coloca a Reliance e o Facebook em posição de usar seu poder de empréstimo e monopólio geral para sujeitar concorrentes, fornecedores e compradores ao poder de precificação da Reliance. “É um controle de 360 ​​graus”, comentou Parminder Jeet Singh, diretor executivo da organização de direitos humanos “IT for Change”, à revista norte-americana Washington Monthly em junho de 2021.

Trabalhar com a Reliance permitiria ao Facebook alavancar o amplo alcance da empresa nos mercados indianos e extrair dados. Por outro lado, a Reliance tem a oportunidade de trabalhar com os recursos de análise de dados do Facebook. Juntos, eles monopolizariam grande parte do mercado indiano, de sistemas de pagamento móvel ao varejo, de informações do usuário a decisões sobre o que os agricultores produzem, compram e vendem e, potencialmente, toda a cadeia de fornecimento de alimentos.


color compass

Este texto foi originalmente escrito em alemão e publicado pelo jornal “JungeWelt” [Aqui!].

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s