Organizações Globo querem privatizar as universidades públicas. Alguma surpresa nisso?

marinho

Em editorial publicado neste domingo (24/07), os editores do jornal  O Globo fizeram conhecer uma das suas fórmulas para resolver a crise econômica brasileira: privatizar as universidades públicas brasileiras (ver reprodução parcial abaixo) (Aqui!).  Eu digo que a proposta é privatizar, pois esse será o passo natural depois de se instalar a cobrança de anuidades (ou mensalidades), o passo consequente seria a privatização.

editorial

A explicação dada é um tanto estranha, pois supostamente combina a necessidade de equlibrar as contas com uma pouco crível necessidade de se corrigir uma injustiça social que seria ter pessoas de posses estudando gratuitamente nas nossas universidades públicas.

Obviamente faltou a menção ao preceito constitucional de que o ensino superior público e gratuito seria uma responsabilidade do Estado brasileiro. Mas certamente aí já teríamos um problema porque a imensa maioria das vagas existentes no ensino superior brasileiro já são controladas pelas empresas privadas de ensino. Sobre isto, o editorial do O Globo é completamente mudo.

Outro aspecto que passa despercebido é que ao contrário de diminuir o número de vagas gratuitas na educação superior brasileira, o que deveríamos ter é um esforço no sentido contrário, tal como fez recentemente a Alemanha que tornou suas universidades completamente gratuitas, como aliás já ocorre em outros países desenvolvidos (Aqui! e Aqui!).

Mas o essencial nesse ataque frontal à gratuidade do ensino nas universidades públicas é que isto teria um impacto direto na capacidade de termos a ampliação da capacidade científica e tecnológica brasileira, visto que é nas universides públicas que se produz quase a totalidade da ciência nacional. Ao obrigar seus estudantes a pagarem para estudar, o resultado óbvio é que não teriam como se envolver na produção científica.

Esta proposição é tão contrária aos interesses nacionais que mesmo nos EUA onde há a cobrança de anuidades nas universidades públicas, o investimento feito pelo governo federal acaba cobrindo a imensa maioria dos custos operacionais, sendo que as taxas pagas pelos estudantes representam uma fração menor do orçamento das instituições universitárias estadunidenses. 

Uma coisa positiva que este editorial possibilita é que possamos tratar de maneira frontal um problema que até agora estava sendo apresentado de forma dissimulada e, por isso, mantida ausente dos debates acerca do futuro das universidades públicas. Pelo menos agora, poderemos fazer um debate franco e direto sobre o que significaria cobrar mensalidades nas universidades públicas do ponto de vista de quem se preocupe com a evolução de nosso sistema de ciência e tecnologia o que, convenhamos, não é algo que os donos da Rede Globo realmente se preocupam.

Agora, confesso que adorei uma frase do referido editorial. É aquela que diz que “Pagará quem puder, receberá bolsa quem não tiver condições para tal.” Se essa frase puder ser estendida à taxação de grandes fortunas e impostos devidos, a família Marinho tem mais é que pagar bastante e sem dinheiro à bolsas. 

Um pensamento sobre “Organizações Globo querem privatizar as universidades públicas. Alguma surpresa nisso?

  1. […] do jornal O Globo que defendeu o inicio da cobrança nas universidades públicas brasileiras (Aqui!). A reação da maioria dos leitores foi de repudiar o editorial, mas houve gente que se alinhou à […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s